O ALFABETO HUMANO


Utilizando o corpo em forma de arte. Veja agora esse belíssimo alfabeto feito com o corpo humano.

O alfabeto completo.






Voltar ao topo

 

 

EDITORIAL: NOS UNE UMA PAIXÃO


A linha do equador por cordão umbilical.
Energia de ultramar.
Cosmopolita. Original. Jericoacoara: pequena Babel sem castigo dos deuses, “encantada” com a multiplicação das línguas. Babilônia sem jardim flutuante.
Confusa. Incerta. Curativa.
Afrodita de beleza venusiana, te prende com promessas.
Pluricultural.
Os homens que a habitam possuem histórias únicas, construídas a partir de mitos, das vivências do agora e de suas memórias pessoais.
Uma longa conversa entre partes distintas na “cidade universal”, que permite que convivam sujeitos dos mais diversos matizes.
A sua diversidade pode ser encontrada na comunhão de contrários, na intersecção das diferenças.
Nacionalismos não devem existir em nome da preservação de identidades. A condição humana é o único requisito para a titularidade de direitos.
Os primeiros em identificarem-se a si mesmos como “cidadãos do mundo” foram os filósofos estóicos, que não aceitaram ser classificados mediante a imposição de categorias artificiais. O Cosmopolitismo é um pensamento que despreza as fronteiras geográficas impostas pela sociedade.
Fraternal. Fotogênica. Mundana.
Jericoacoara exige sarar desilusões ou expulsa sem remédio.
Cremos que a escolhemos, e ela nos deixa crer...
Aos seus moradores nos unem poucas coisas:
Nos une um lugar.
Nos une uma paixão.
Vestimos a mesma camiseta.
Somos fanáticos.

Torcemos por Jeri !!!

Alejandra Traverso


Voltar ao topo

 

 

TURISMO E INCLUSÃO SOCIO-AMBIENTAL


Vivemos em um lugar com rico patrimônio socioambiental e cultural, materializado em paisagens físicas exuberantes e pessoas com seu jeito próprio de ser, compondo cenários que permitem uma visão privilegiada para amantes da natureza, gente que mora e gente que visita a região.

Este fato insere o Município de Jijoca de Jericoacoara em um dos 65 destinos turísticos brasileiros e em um dos 04 do Ceará, ao tempo em que chama à responsabilidade os gestores municipais para qualificarem ainda mais o destino, propiciando melhoria na qualidade de vida para as populações locais e para os visitantes.
Enquanto gestor da Secretaria de Turismo e Meio Ambiente de Jijoca de Jericoacoara, temos a missão de conhecer e compreender o lugar com todas as suas diversidades de paisagens, de ambientes, de cultura, de relações sociais e políticas para que possamos formatar produtos turísticos que respeitem a biodiversidade, constituindo-se em atrativo para investidores, moradores e turistas.

Neste sentido, precisamos fortalecer a relação dialogal entre poder público, iniciativa privada e sociedade civil, para que a realidade local, inserida em um contexto regional, seja preservada e qualificada à medida que vamos sendo conhecidos cada vez mais e atraindo mais gente e investimentos no setor.

Potencializando esta relação de governança estamos criando os Conselhos Municipais do Turismo e do Meio Ambiente, com representação bem ampla dos diversos segmentos sociais para que, juntos, possamos definir com muita clareza a política de turismo e meio ambiente para o Município sem riscos de comprometimento dos ecossistemas que compõem a biodiversidade do lugar.

O Conselho, sobretudo o de Turismo, irá potencializar os programas, projetos e ações já iniciados pela Secretaria, destacando-se: assessoria na criação e/ou fortalecimento das associações, conselhos e outras instituições no âmbito da organização socioambiental; apoio aos empreendedores turísticos para que possam, de forma ainda mais qualificada, formatar e comercializar o destino estimulando a vinda de muitos visitantes, possibilitando a inclusão social; incentivar a política de captação e promoção de eventos culturais; contribuir na divulgação do destino através de um marketing capaz de sensibilizar, envolver e atrair visitantes locais, regionais, nacionais e internacionais, a partir de operadoras respeitadas na área e que respeitem o contexto local; dotar o Município de serviços básicos e para o turismo, com ênfase à informação e/ou comunicação, qualificação profissional, sinalização, produção e comercialização do artesanato, limpeza pública, transporte, inclusão de novos roteiros, na perspectiva de garantia do conceito de cidade saudável.

Temos consciência dos nossos limites, mas também das nossas possibilidades que, trabalhadas em parceria com outros atores sociais, podemos nos tornar mais eficientes, garantindo efetividade ao nosso destino como um dos indutores nacionais, aumentando o nosso empoderamento e a nossa capacidade de investimento e atração de visitantes.

José Osmar Fonteles
Professor do Centro de Ciências Humanas da UVA
Secretário de Turismo e Meio Ambiente de Jijoca de Jericoacoara.




Voltar ao topo

 

 

DE OUTRO MUNDO



Um cenário multifacetado.
Jericoacoara, que, além de paradisíaco, serve como palco para novos laços afetivos, vem provando que se trata de uma cidade encantada: não só por suas belezas naturais, mas pela energia e pelo sentimento positivo que desperta nas pessoas. Se isso se trata de uma comoção pela beleza do local ou por forças sobrenaturais, cabe à nossa imaginação decidir. E é essa energia que inspira tantos artistas – músicos, pintores, poetas, disenhistas- a criar obras que não se comparam ao que foi feito até então sem o pôr-do-sol, sem a conexão com as pessoas e sem os sorrisos que o lugar gera. Tente sentar em uma pedra na malhada num fim de tarde (daqueles que pintam o céu de laranja e cor-de-rosa) com um papel e uma caneta na mão e poderá descobrir um 'eu' desconhecido. Poderá deixar sua marca na história do lugar, ser mais uma galáxia em meio a esse universo finito que é Jericoacoara.

Se a gente parar para pensar em quantas pessoas diferentes, quantas múltiplas nacionalidades, idades e etnias passaram e ainda passam por Jeri, podermos concluir que se trata de um mundo à parte e não apenas de uma praia paradisíaca no litoral cearense. Talvez por tantos 'vem-e-vais' de culturas diferentes, a vila tenha criado pra si uma identidade que as outras (que foram colonizadas e impostas à cultura de um ou dois países apenas) não possuem. A capoeira de Angola, o forró cearense, o samba e a MPB que músicos de diferentes estados trazem, a rica e diversificada gastronomia... acabam formando uma identidade plural no local.

Vale à pena ressaltar que em meio a tantos grandes eventos que vêm ocorrendo nos últimos dois anos, a vila está perdendo a passividade e ganhando força para mostrar ao resto do mundo que temos muito além das belezas naturais. Temos pessoas que aqui nasceram - ou apenas moram - dispostas a presentear o mundo com seu talento, criatividade, força de vontade, empreendedorismo, que só precisavam da oportunidade para aparecer e brilhar. E essa oportunidade veio quando o turismo se tornou mais forte.
Estar em Jericoacoara é, sem dúvida, estar no lugar certo na hora certa.
E, se todos continuarmos agindo com a simplicidade aqui imposta pela própria natureza, teremos uma vila crescendo aos poucos, como deve ser - e não como a imaginária Macondo de Gabriel García Márquez.

Se há tantas dunas e areia ao redor è um sinal divino de que estamos indo bem, agindo sem grandes exageros. Não nos devemos precipitar e nos deixar levar pelos encantos do mundo moderno destruindo nosso próprio lar, que é –apenas- um pedaço de paz que o mundo guardou com carinho e vista pro mar.

Manuella De Gregorio
18 anos, estudante.




Voltar ao topo

Home - Turismo - Editorial - Nativos - O Paraíso Encantado - Cultura - Matérias - Newsletter

1º Edição 9/06/09 - 3º Edição 9/07/09 - 4º Edição 9/08/09 - 5º Edição 9/09/09 - 6º Edição 9/05/09

©2009 - Todos os direitos reservados Alejandra Traverso - Jericoacoara - Ceará - Brasil